Sexta, 28 Outubro 2011 01:45

01h45 - Fernando Reis faz história com medalha de ouro e chora ao abraçar o pai

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Quando um jovem de 21 anos, estudante de business da Universidade do Missouri, desembarca de volta no Brasil muitos devem supor que ele venha para visitar a família, passar férias. Este ano, Fernando Reis fez este caminho, mas era parte de um plano maior: ganhar a medalha de ouro dos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011, feito que alcançou nesta quinta-feira, dia 27.

Quando um jovem de 21 anos, estudante de business da Universidade do Missouri, desembarca de volta no Brasil muitos devem supor que ele venha para visitar a família, passar férias. Este ano, Fernando Reis fez este caminho, mas era parte de um plano maior: ganhar a medalha de ouro dos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011, feito que alcançou nesta quinta-feira, dia 27.

"Tranquei os estudos e voltei para o Brasil para treinar. Meu objetivo era o ouro no Pan", explicou. Deu certo. No Foro de Halterofilia levantou um total de 410kg, bateu os recordes pan-americanos de arranque, arremesso e geral e conquistou a medalha de ouro da categoria +105kg em Guadalajara 2011. Em segundo ficou o venezuelano Yoel Morales (com 393kg) e o canadense George Kobaladze (com o mesmo total) levou o bronze.

Foi o primeiro ouro pan-americano do esporte - e a primeira medalha desde Mar Del Plata 1995. "Treinei muito para isso e estou muito feliz com a minha medalha. Agora, vou continuar meu trabalho", disse. E o trabalho é árduo. De cinco a seis horas diárias de treino, de segunda a sábado, sempre em duas sessões. Uma rotina um pouco diferente dos amigos da mesma idade. "Sem dúvidas que não tenho a vida que um cara de 21 anos tem. É muita privação, abro mão de muitos prazeres. Mas tenho um plano de vida", explicou Fernando, que levanta peso desde os 11 anos de idade. Alegrias ele também tem e a medalha de ouro que segurava na mão após a premiação era prova disso. "Mas esse prazer é só de quatro em quatro anos", ponderou.

Mas é uma felicidade que não é só dele. Contagiou o companheiro Welisson Silva, que competiu ontem na categoria -77kg e foi um dos primeiros a abraçar Fernando depois que ele, na última entrada, levantou imponentes 225kg. Contagiou também seu Horácio, o pai, que não segurou as lágrimas durante o desenrolar da prova. E depois de tanto treino, privação e alguns prazeres, arrebatou o próprio pesista. Ao encontrar seu Horácio no caminho até os vestiários, o homem de 1,85m e 132kg, prata nos Jogos Sul-americanos Medellin 2010, ouro nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011, se rendeu. "Família é tudo, né, irmão?", foi o máximo que conseguiu dizer antes de chorar copiosamente e ganhar um abraço do pai. Este, sim, um dos maiores prazeres que alguém pode ter.

Foto: COB

Lido 95 vezes

Please publish modules in offcanvas position.