Scheidt e Borges estreiam novo barco no Campeonato Europeu

0
5

Robert Scheidt e Gabriel Borges estreiam no Campeonato Europeu de 49er neste domingo (30), no Kieler Yacht-Club, em Kiel, na Alemanha. Em sua primeira temporada na nova classe, a dupla de iatistas brasileiros estreia um novo barco na competição, considerado como uma prévia do Mundial, que será disputado de 28 de agosto a 2 de setembro, na cidade do Porto, em Portugal.

O bicampeão olímpico está animado com o novo equipamento. “Chegamos em Kiel com uma semana de antecedência e treinamos bem. Enfrentamos condições variadas. Pegamos vento fraco, depois médio e forte. Também tivemos condições extremas, com bastante chuva e vento. Estamos muito felizes com o nosso barco, que é mais rígido e conta com mastro e vela novos. Certamente é um upgrade”, afirma o atleta.

Scheidt e Borges usavam um barco de 2014, emprestado junto ao COB e CBVela. Com a evolução da dupla na 49er, optaram por adquirir equipamento próprio. “Teremos uma ferramenta melhor para competir no Europeu e isso é muito bom, mas sabemos que tudo é um processo e sempre é possível melhorar. No final das contas, sabemos que o principal continua dependendo da gente, da maneira como vamos manobrar o barco”, explica o maior medalhista olímpico do Brasil, com cinco pódios.

O Campeonato Europeu deve reunir 90 duplas, dividas em três flotilhas nos três primeiros dias. Os melhores avançam para a flotilha ouro em busca de um lugar entre os dez primeiros colocados que disputarão a medal race, dia 4 de agosto. “Os principais velejadores do planeta na 49er estarão em Kiel. Isso eleva o nível da disputa e faz da competição uma prévia do Mundial. Não vai ser fácil, mas vamos buscar um resultado positivo e seguir nosso caminho rumo a evolução dentro da nova classe”, avalia Robert Scheidt, que recentemente esteve na Alemanha para a Kieler Woche, tradicional Semana de Vela de Kiel, onde conseguiu o 17º lugar.

Aos 44 anos e consagrado na Star e Laser, Scheidt disputa sua primeira temporada na 49er. Encara o desafio de velejar em um barco maior, mais veloz e com estratégias diferentes a fim de iniciar um novo ciclo olímpico, visando os Jogos de Tóquio, em 2020. Com isso, sabe que as dificuldades fazem parte do processo de adaptação às características da nova classe. E reconhece estar evoluindo gradativamente, muito auxiliado pelo proeiro Gabriel Borges.

Crescimento – A evolução de Robert na 49er pode ser comprovada pelo seu desempenho. Na Copa Brasil, disputada no início de março, em Porto Alegre, venceu quatro regatas, as primeiras na nova categoria, conquistando a medalha de prata. Antes de competir em águas brasileiras, disputou a etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela, em janeiro. E conseguiu o 16º lugar na disputa que reuniu 26 barcos com os melhores iatistas do planeta. Na Miami Mid Winters, também no início de 2017, conseguiu 11º lugar no campeonato que envolveu 17 competidores. No final de março, correu o Troféu Princesa Sofia e novamente fez um 11º lugar.

Comente