Vem aí a Superliga de Vôlei 2017/2018

0
0

A 24ª edição da Superliga de vôlei teve seu saque inicial realizado, nesta segunda-feira (09.10), em São Paulo (SP), com a presença de representantes das 24 equipes participantes, sendo 12 de cada naipe. A festa de lançamento reuniu grandes nomes do voleibol brasileiro e mundial, entre eles quase 20 campeões olímpicos. Os atuais campeões Sesc RJ e Sada Cruzeiro (MG) continuam como fortes candidatos ao título, mas terão adversários de qualidade pela frente.

Além do Sesc RJ, participarão desta edição no feminino, Fluminense (RJ), Vôlei Nestlé (SP), E.C. Pinheiros (SP), Renata Valinhos/Country (SP), Vôlei Bauru (SP), BRB/Brasília Vôlei (DF), Dentil/Praia Clube (MG), Sesi-SP, Camponesa/Minas (MG), Hinode Barueri (SP) e São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP).

No masculino estarão na disputa da Superliga 17/18, além do Sada Cruzeiro (RJ), as equipes do EMS Taubaté Funvic (SP), Sesi-SP, Minas Tênis Clube (MG), Montes Claros Vôlei (MG), Vôlei Renata (MG), Lebes/Canoas (RS), Copel Telecom Maringá Vôlei (PR), Caramuru Ponta Grossa (PR), Corinthians-Guarulhos (SP), JF Vôlei (MG) e o estreante Sesc RJ, campeão da Superliga B 2017.

Estiveram, nesta manhã e início de tarde, em São Paulo, os campeões olímpicos Paula, Fabiana, Fabi, Tandara, Fernanda Garary, Wallace, Evandro, William, Lipe, Lucarelli, Maurício Borges, Maurício Souza, Serginho, Lucão, além dos técnicos Giovane, José Roberto Guimarães e Paulo Coco.

Além dos destaques como campeões olímpicos, a Superliga 17/18 contará com a presença de 25 dos 28 selecionáveis da última convocação das seleções brasileiras adultas em 2017. Esse número é considerado excelente pelo diretor executivo da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Radamés Lattari. O dirigente falou da expectativa para essa edição.

“Estamos muito felizes com o início da 24ª Superliga. A cada ano tentamos melhorar e evoluir. Em parceira com os clubes, esperamos fazer uma grande competição. Tentando colaborar da melhor maneira possível com o custeamento das passagens aéreas, do empréstimo do piso, entre outras coisas. Sabemos que a Superliga é uma das competições de vôlei que mais tem a presença de campeões olímpicos. O nível técnico desse ano está muito forte e vejo diversas equipes brigando pelo título em ambos os naipes”, disse Radamés Lattari.

A líbero Fabi, do Sesc-RJ, que disputará sua 20ª Superliga, mostrou muito entusiasmo para essa edição.

“O que motiva os atletas são desafios. Esse ano é ainda mais especial por ser minha 20ª Superliga. Estou motivada como se fosse minha primeira. Cada ano passa a ser mais prazeroso. Vejo essa Superliga muito equilibrada pela qualidade dos elencos. Espero que o púbico compareça nos ginásios porque acredito que teremos grandes jogos”, apostou Fabi.

O oposto Evandro, do Sada Cruzeiro, que brilhou na última temporada e foi eleito o melhor jogador da final, acredita que a edição 17/18 será diferenciada.

“Essa temporada tem tudo para ser a melhor dos últimos tempos. Sabemos que vamos enfrentar dificuldades e estamos nos preparando para começar bem a competição e manter a boa sequência de resultados positivos do Sada Cruzeiro”, explicou Evandro.

Foto: Daniel Zappe/MPIX/CBV

Comente