Com licença, as mulheres precisam de voz

0
30

Em um meio tão machista, o caminho perseguido pelas mulheres não tem sido o mais fácil.

Corajosas, ocupam diferentes cargos: presidentes de clubes, conselheiras, técnicas, árbitras, jogadoras, atletas, cronistas…

Com a presença marcante da mulher, e não digo pela beleza exterior, mas pela inteligência e capacidade em se apoderar de uma seara, que antes eram territórios habitados por homens, foi e vem sendo desmistificado, fazendo prevalecer o respeito à igualdade de gênero.

Aquele lema antigo em que a mulher tinha que cuidar da casa e dos filhos, ficou para trás.

A mulher moderna cumpre seus afazeres domésticos, cuida dos filhos, trabalha fora e algumas ainda sustentam seu lar. É o poder feminino tomando conta das mais diversas áreas. O que antes era visto como impossível, hoje é natural, ao configurar-se, também, em tripla jornada.

Voltando ao futebol, ainda há preconceitos em relação ao conhecimento da mulher. Alguns apontam que mulher não entende nada acerca de futebol; outros reconhecem que sabemos e podemos discutir claramente sobre o assunto.

O mundo ainda precisa conceder às mulheres o direito de disputar cargos com a mesma equidade que o fazem os colegas do sexo oposto. Porém, no esporte, esse tema, outrora tabu, vem tendo suas barreiras derrubadas.

Texto enviado por Samara Gomes, Mulher, Mãe, Jornalista e Advogada em prol de uma sociedade mais justa.

Comentar