Edgard Groggia repete o feito e vence a PRO/AM na 2ª etapa do Circuito South to South de Surf Vicentino 2018

0
63

Os campeões da 2ª etapa do Circuito South to South de Surf Vicentino 2018, apresentado pela Lines SurfShop, foram conhecidos no último final de semana, 18 e 19 de agosto, na Praia do Itararé, em São Vicente, e o guarujaense Edgard Groggia foi o grande destaque ao vencer novamente a principal categoria do circuito, a Pro/AM, que junto com a Master tiveram suas finais antecipadas para o sábado, por causa das condições das ondas que estavam pequenas.

Groggia teve uma grande apresentação nesta e superou atletas fortes como o itanhaense Gustavo Ribeiro, que ganhou destaque da etapa por ter sido o atleta que arrancou a maior nota dos juízes, um 8.83, além dos vicentinos Marcos Corrêa e Kim Matheus, que ambos disputam a divisão de acesso do WQS.

“Foi uma bateria forte em ondas difíceis. Desta vez eu tive que usar muita técnica para fazer a prancha correr e assim conseguir finalizar as manobras com bastante precisão. Estou muito feliz por vencer novamente”, disse Groggia

Na decisão Máster, Vinicius Bico estreou mostrando seu repertório de manobras e dedicou a vitória ao pai, Luiz Bocão, shaper legend e bicampeão Paulista Master de Surf. “Ele foi uma pessoa muito especial que eu sempre acompanhei e vi vencendo tudo na categoria Master. Agora, eu que chego na categoria dele vencendo também”, disse emocionado.

“Mais uma etapa realizada com sucesso em termos de organização e estrutura. O que faltou mesmo foram as ondas. Porém, o mais importante é que estamos no objetivo que é resgatar o espirito competitivo dos surfistas vicentinos”, disse o presidente da ASVS, Lucinei Mallas.

E, para abrilhantar mais o evento a nova geração de surfistas puderam interagir, trocar informações, e ficar bem perto dos ex-atletas profissionais Zé Paulo, Augusto Sapo, Maurício Orelhinha, Daniks Fischer e Lucinei Mallas, surfistas que alçaram o nome da cidade no mundo do surfe. Marcos Corrêa e Kim Matheus são a safra nova dando continuidade na tradição vicentina.

Os mais procurado foi Maurício Orelhinha, sua melhor performance aconteceu na década de 80, quando conquistou o título brasileiro de surfe. Atualmente ele encara as ondas do North Shore havaiano, onde mora. “É muito importante o trabalho da ASVS. Este resgate do surfe vicentino estava precisando”, disse.

Já o Zé Paulo é dono de muitos títulos e também campeão brasileiro, além disso comandou a equipe da Billabong na América do Sul de 2003 a 2014, mas no momento o seu novo desafio está na produção e distribuição da Cerveja Sumatra – The Surfers Beer. “O evento foi maravilhoso. Organização impecável. Todos de parabéns”.

No sábado, a etapa começou com chuva, mas, no domingo, o sol apareceu e favoreceu a continuidade do campeonato e a categoria feminina entrou no mar e o destaque ficou para Rafaela Teixeira, de apenas 17 anos, local de Camburi, que não deu chances as adversárias e levou o título de campeã. “Estou feliz por ter conseguido achar boas ondas e vencer em minha primeira participação no campeonato”.

O praiagrandense Gustavo Giovanardi, de 15 anos, teve destaque na categoria Mirim. Na Júnior o atleta da Praia Grande, Gabriel Nieba, de 18 anos, conquistou o primeiro lugar.

Outra final bem disputada foi a do Stand UP, que teve o vicentino Leonardo Gimenes, de 18 anos, em primeiro lugar, onde não poupou o próprio pai,  Luciano Esteves, que correu na mesma bateria e terminou na quarta posição. ‘Foi muito bom vencer em casa e espero que outros bons resultados venham”.

O guarujaense Yuri Beltrão, de 14 anos, venceu a Iniciante e na Petit John Muller teve a melhor pontuação para garantir o primeiro lugar. Já entre os estreantes, João Artur saiu melhor e deixou em segundo o campeão da Petit, John, que não teve a mesma sorte nesta categoria. Na terceira posição ficou o jovem Arthur Goulart e em quarto Vitor Prado.

Na última final do dia o guarujaense André Martins, de 32 anos, venceu de virada faltando poucos segundos e levou a melhor no pranchão. “Foi uma bateria difícil. A onda apareceu na hora certa e eu aproveitei ao máximo para virar em cima do Daniks Fischer, que eu respeito e cresci vendo ele surfar. “Fiquei amarradão”.

Comentar