Raulzinho, armador do Utah Jazz, promoveu camp de basquete, em São Paulo

0
68

Dois dias de muito basquete e experiências inesquecíveis. Terminou neste domingo, dia 5, o Camp Raul Neto 2018, evento promovido pelo armador no Clube Alto dos Pinheiros, que reuniu quase 70 meninos e meninas de 13 a 16 anos além de muitos convidados especiais, entre eles Rudy Gobert, companheiro do brasileiro no Utah Jazz, eleito ‘Jogador de Defesa do Ano da NBA’ em 2018. Durante o camp, palestras, dinâmicas, treinamentos de fundamentos e competições, além da oportunidade de assistir (e participar) de um ‘All-Star Game’ que foi além da bola laranja. Para Raulzinho, uma experiência muito além do esporte.

“Foi bacana poder reunir tantos amigos e fico feliz por ter proporcionado isso para essa garotada. Amigos do vôlei, do futebol, da música, da Internet e, claro, do basquete, jogando com esses jovens. Ninguém se divertiu mais do que eu no camp, poder trocar um pouco de experiências, passar esse tempo com eles e ver o brilho nos olhos desses meninos e meninas, é algo muito valioso não só pra eles, mas pra mim também”, afirmou o camisa 25 do Utah Jazz, um dos três brasileiros confirmados para a temporada 2018-2019 da NBA, ao lado de Cristiano Felício (Chicago Bulls) e Nenê (Houston Rockets).

Com as presenças de Bruninho e Lucarelli, campeões olímpicos de vôlei, Elano e Caio Ribeiro, ex-jogadores da Seleção Brasileira de futebol, além de Leandrinho, campeão da NBA em 2016, Raul (pai de Raulzinho) e Josuel, ambos ex-jogadores da Seleção Brasileira de basquete, e outros convidados, Raulzinho enfrentou o time de Gobert numa partida bem disputada e cheia de momentos divertidos. No fim, vitória do time do francês por 41 a 38.

“Estive no Rio de Janeiro ano passado e aqui em São Paulo encontrei as mesmas coisas: a paixão do brasileiro pelo esporte e uma garotada que me deu muito carinho. É muito bom poder dividir um pouco do tempo com eles porque já fomos como eles um dia, garotos, meninas, com o sonho de jogar basquete. Camps como esses, oportunidades como essas marcam a vida deles”, afirmou o pivô, que desfilou todo o seu repertório de tocos e enterradas no jogo.

“Acompanho basquete, gosto muito do jogo, mas jogar já é outra história… Tentei fazer o meu melhor”, brincou Elano. – Fiquei feliz com o convite e aceitei na hora, não é todo dia que tenho essa oportunidade de dividir quadra com astros da NBA.

“Foi muito legal, não só a partida, mas o astral do evento, a alegria dessa garotada, isso é algo que mexe muito com o atleta. Acho que representamos bem, o vôlei não fez feio. Agora eu e Lucarelli temos que organizar um jogo de vôlei também para eles jogarem”, falou Bruninho.

Ao longo dos dois dias, diversas atividades fora de quadra: os jovens puderam assistir palestras de Eduardo Agra (ex-jogador olímpico de basquete e atualmente comentarista de TV) e Renatinho (ex-árbitro olímpico e atualmente comentarista de TV), orientações sobre hidratação e além de uma mesa-redonda sobre esportes olímpicos. Dentro das quatro linhas, treinamentos fortes em seis estações, com o trabalho focado em fundamentos e competições de 3×3 e 5×5.

Comentar