Seleção Brasileira de Park escreve nome nas Olimpíadas com Pedro Barros

0
12

Pedro Barros, com a medalha de prata, Luiz Francisco (4º) e Pedro Quintas (8º) escreveram definitivamente o nome do skate nacional na história das Olimpíadas. O trio da Seleção Brasileira de Park representou nas disputas desta quinta-feira nos Jogos de Tóquio (noite de quarta para quinta pelo fuso brasileiro).

No dia anterior, Dora Varella (7ª), Yndiara Asp (8ª) e Isadora Pacheco (10ª) já haviam defendido as cores do Brasil.

Nas classificatórias, Pedro Quintas, na bateria 2, foi o primeiro brasileiro a se apresentar. O skatista recebeu maior nota na 3ª volta: 79.0. O skatista avançou para a final na 3ª posição.

Luiz Francisco, na bateria 3, somou a maior pontuação na 2ª volta: 84.31. O brasileiro somou a maior nota das classificatórias, avançando na 1ª posição.

Pedro Barros, na bateria 4, foi o último a representar o Brasil nas classificatórias. A nota mais alta saiu na 2ª volta: 77.14. O skatista passou com a 4ª colocação.

Na final, Pedro Barros foi o brasileiro que garantiu a melhor nota. Logo na 1ª volta, somou 86.14.

Luiz Francisco foi segundo mais bem colocado entre os brasileiros, com 80.62 na 2ª volta.

Pedro Quintas foi o terceiro entre os brasileiros, com 38.47 na 3ª volta.

Assim como no Street, o Park contou com 20 skatistas por categoria (feminino e masculino) nas Olimpíadas. As disputas serão divididas em preliminares e final (8 melhores), com as duas fases acontecendo no mesmo dia. No total, serão dois dias de competição (um para cada categoria).

Nas classificatórias e na final, cada skatista terá direito a 3 voltas de 45 segundos, valendo como pontuação final a volta de maior nota.

Entre Park e Street, o skate brasileiro confirmou o limite de 12 vagas por país nas Olimpíadas. O feito foi alcançado somente por Brasil e Estados Unidos.

Comentar