Seleção brasileira masculina perde para Rússia e vai em busca do bronze

0
11

Depois de uma campanha positiva em Tóquio, a seleção brasileira masculina de vôlei não conseguiu alcançar o objetivo de chegar a quinta final consecutiva de uma edição de Jogos Olímpicos.

Na madrugada desta quinta-feira (05.08), a equipe verde e amarela acabou superada pelo Comitê Olímpico Russo por 3 sets a 1 (25/18, 21/25, 24/26 e 23/25), na Ariake Arena.

Na fase de grupos, o Brasil venceu a Tunísia, Argentina, Estados Unidos e França, e passou por um resultado negativo, justamente para o Comitê Olímpico Russo, que é o primeiro finalista dos Jogos de Tóquio. Na fase de quartas de final, o time brasileiro venceu o Japão e eliminou os donos da casa.

Com a derrota nesta semifinal, a seleção brasileira masculina irá buscar a medalha de bronze contra o perdedor do confronto entre Argentina e França, que será realizado na manhã desta quinta-feira (05.08), às 9h. Já a disputa pelo terceiro lugar no pódio será na madrugada de sábado (07.08), à 1h30, no Horário de Brasília.

O ponteiro Leal foi o maior pontuador da seleção brasileira nesta partida, com o total de 18 acertos. O central Lucão marcou 13 vezes, o oposto Wallace, 11, e o ponteiro Lucarelli foi responsável por 10 pontos.

Ao final do jogo, o levantador e capitão Bruninho fez uma breve avaliação ainda sob o calor e emoção da partida.

“É difícil fazer uma análise fria agora, e acredito que o principal foi não ter finalizado a oportunidade que tivemos no terceiro set, mas o time foi valente de voltar apesar da dificuldade que passamos no terceiro set. É difícil, frustrante porque estávamos fazendo um bom jogo. O nosso time lutou, mas os russos mereceram. Acredito que tudo tem um porquê e agora é apagar isso aqui e ir para o bronze”, disse Bruninho.

O capitão se referiu ao fato de a equipe brasileira estar com boa vantagem na terceira parcial (20/12) e ter visto o adversário virar o placar e fechar o set. O técnico Renan lamentou o resultado, mas já está focado na busca pela medalha de bronze, no próximo sábado.

“Lamentamos demais não sair daqui com uma vitória. Queríamos muito estar disputando uma final, mas vamos olhar para frente. Parabéns a equipe russa porque jogou agressivo o tempo todo. Nós suportamos durante um bom tempo e na metade do jogo em diante não conseguimos imprimir um ritmo forte de saque e eles jogaram com o passe na mão”, explicou Renan, que prosseguiu.

“Têm coisas que acontecem no esporte, em várias seleções, que é travar em uma rede e isso aconteceu conosco hoje. Eles foram felizes com o número 1 (Podlesnykh), que entrou firme no saque, e são coisas que, infelizmente, acontecem no esporte. Que fiquem os aprendizados para que em momentos delicados como esse, consigamos encontrar outras soluções. Agora temos uma medalha para buscar e não vamos desistir dela em momento algum”, afirmou Renan.

Destaque da seleção brasileira nesta campanha olímpica, Lucão também destacou a virada dos russos no terceiro set como ponto importante para o resultado.

“Eles deram uma reviravolta ali e é complicado quando o time está jogando bem e cai uma pedra em cima assim. É difícil reverter. No quarto fomos bem, mas eles começaram a ter confiança, cresceram e fizeram o que sabem de melhor, que é sacar muito forte. Ficamos tristes porque sempre queremos chegar na final. Acabou o jogo, bate uma tristeza, ficamos decepcionados porque queríamos estar representando o Brasil em mais uma final, mas uma medalha olímpica é muito grande”, disse Lucão.

O Brasil esteve presente nas quatro últimas finais olímpicas. Em Atenas-04, foi ouro, em Pequim-08 e Londres-12, a seleção masculina ficou com a medalha de prata, e no Rio-2016, o grupo brasileiro subiu ao degrau mais alto do pódio.

Comentar