Atletismo: Pinheiros conquista o Brasileiro Sub-23

0
46

O Pinheiros cumpriu a meta e conquistou o título da 12ª edição do Campeonato Brasileiro Caixa de Atletismo Sub-23, encerrado no final da tarde deste domingo (dia 29), no Estádio José Carlos Daudt, na Sogipa. A equipe paulistana foi campeã das categorias masculina, feminina e geral.

Na classificação geral, o Pinheiros somou 225 pontos. A Orcampi Unimed ficou em segundo lugar, com 151, seguida da FECAM, campeã do ano passado, com 132. No masculino, o clube paulistano somou 121 pontos, contra 88 da Orcampi Unimed e 82 da FECAM. E, no feminino, o Pinheiros totalizou 104 pontos, superando a ASA-Sorriso, que teve 85, e a Orcampi Unimed, com 63.

“Queremos consolidar nossa posição no Atletismo nacional e este título foi importante”, lembrou o treinador Claudio Castilho, do Pinheiros, que é bicampeão do Troféu Brasil Caixa de Atletismo. “Vamos investir em nossos sócios, que são atletas, para lutar por títulos também nas categorias abaixo”, concluiu.

No quadro geral de medalhas, dividido por Estados, São Paulo foi o grande campeão, com 58 medalhas, sendo 20 de ouro, 21 de prata e 17 de bronze. Santa Catarina ficou em segundo lugar, com 16 medalhas (5 ouros, 6 pratas e 5 bronzes), seguido do Rio de Janeiro, com 8 (4, 2 e 2).

Nas provas da última etapa da competição, que teve 10 recordes batidos, vários atletas se destacaram. Derick Souza (Pinheiros), por exemplo, chegou a comemorar o recorde do Campeonato ao vencer os 200 m, com 20.45, mas contou com a ajuda do vento acima do permitido: 2.3 m/s. Mesmo assim, ficou feliz com a vitória. “Estava muito cansado da disputa dos 100 m e da semifinal dos 200 m. Não consegui render o que esperava”, lamentou o atleta, que participou de um Camping de Treinamento e de Competições nos Estados Unidos, promovido pela CBAt e com apoio do COB.

O velocista Paulo André de Oliveira, que também integrou o Camping, venceu os 100 m no sábado e desistiu da final dos 200 m, embora classificado, alegando cansaço.

No 200 m feminino, Lorraine Martins correu bem como sempre. Aos 18 anos, ela conquistou a medalha de ouro, com 23.55 (0.7), quebrou o recorde do Campeonato e ratificou o índice para o Mundial Sub-20 da Finlândia, repetindo o que já havia feito pela manhã na semifinal. Campeã dos 100 m, ela pretende concentrar-se agora totalmente no Mundial. “Meu objetivo é lutar por uma medalha e para isso precisarei treinar mais ainda”, comentou. No ano passado, no Mundial Sub-18 de Nairóbi, no Quênia, ela disputou as duas provas, terminando em quarto lugar nas duas.

Nos 400 m com barreiras, tanto no masculino como no feminino, muitas emoções. Mikael de Jesus (FECAM) quebrou o recorde do Campeonato, com 49.78, melhorando a marca de 50.13, que era dele mesmo desde o ano passado. “Minha meta é correr a prova em menos de 49 segundos este ano”, disse o paranaense de 20 anos.

Alison Brendom dos Santos (Pinheiros), segundo colocado, com 50.48, comemorou a melhor marca pessoal, ratificou o índice para o Mundial Sub-20 e ficou feliz ao ser informado que seu tempo ocupa o sexto lugar no Ranking da categoria na IAAF. “É muito bom ver o resultado de seu esforço”, comentou o paulista de 17 anos, que tem marca mínima para a Finlândia também nos 400 m.

No prova feminina, Marlene Ewellyn dos Santos (EMFCA), de 18 anos, venceu com o tempo de 58.48, superando o índice exigido de 58.91. “Fiquei a 4 centésimos na semifinal e na final ganho o ouro, faço meu melhor tempo e estou qualificada para o Mundial. É uma alegria”, comemorou.

Comentar