Localizada em terra indígena, escola de Tupã (SP) está na final do basquete feminino nos Jogos Escolares

0
8

São Paulo e Espírito Santo vão reeditar a final de Natal 2018 do basquete feminino mirim – 12 a 14 anos – nos Jogos Escolares da Juventude Blumenau 2019. Nesta terça, 19, a Escola Estadual Índia Vanuire, localizada na Terra Indígena Vanuire, em Tupã (SP), derrotou a SATC, de Criciúma (SC), por 63 x 34 na primeira semifinal.

Logo depois, a UMEF Professora Nice de Paula, de Vila Velha (ES) venceu o Colégio Santa Emília, de Recife (PE), por 46 x 35. A decisão da medalha de ouro acontece nesta quarta, às 9h45, no ginásio do Sesi.

Quatro atletas da equipe paulista marcaram pelo menos dez pontos na partida contra as campeãs catarinenses. A cestinha foi Mariah Jesus, com 13 pontos. Niccoly Aguiar anotou 11, Suelen Ferreira e Brenda Souza, dez. Natural de Ribeirão Preto (SP), a armadora Suelen, a Sussu, é uma das cinco atletas campeãs sul-americanas sub-14 que disputam os Jogos Escolares da Juventude em Blumenau.

“Participar dos Jogos Escolares me deixa muito feliz. Temos grandes chances de ser campeãs e isso é um incentivo a mais”, disse a jovem de 14 anos.

“Moro em um alojamento com outras 18 meninas em Tupã. Não é fácil, mas é muito divertido. Faz pouco tempo que eu me dedico exclusivamente ao basquete. Pratiquei de tudo: atletismo, judô, vôlei, badminton, todas as modalidades mesmo”.

Observadora dos Jogos Escolares da Juventude Blumenau 2019 e assistente técnica da seleção brasileira feminina sub-16, Bruna Heloísa Rodrigues acompanhou as semifinais atentamente.

“Sou grata demais aos Jogos Escolares. Foi por causa do meu trabalho em Curitiba 2017 que a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) me convocou para trabalhar com a seleção”, disse a treinadora de 26 anos, que possuía em mãos formulários com todos os detalhes das atletas participantes dos Jogos. “Tenho 120 questionários completos aqui. Esse time de São Paulo, por exemplo, treina seis dias por semana em dois períodos. Volume e intensidade fazem a diferença”.

Comentar